top of page
  • Foto do escritorFrancisco Weyl

FICCA recria Prêmio Mérito Cultural, instituído em 2015

Este ano de 2023 o FICCA retoma o Prêmio Mérito Cultural para reconhecer valorosos e abnegados criadores e fazedores de arte e de cultura da Amazônia Paraense.

A primeira edição deste prêmio ocorreu em 2015, durante a II edição do festival que caminha para a sua X edição, em 2024.

Os nomes e os critérios de escolha que são internos à coordenação e consultores do certame, serão divulgados até meados de Novembro, enquanto que as premiações acontecerão a partir de Dezembro de 2023 até 2024.

À exemplo do ano passado (2022), quando o festival homenageio realizadores pelo conjunto da obra (Afonso Gallindo - ainda em vida -, e Joyce Cursino), o FICCA quer reconhecer e valorizar o criador e o fazedor de cultura local.

O FICCA - Festival Internacional de Cinema do Caeté é um festival não datado que acontece o ano inteiro, através de rodas de conversas, oficinas, perfomances, instalações, feiras, projeções cineclubustas, que organizamos ou atuamos em parceria com amigos e entirades parceiras de nossa rede presencial e virtual, através da Internet e em espaços públicos comunitários porque a nossa natureza inclusiva é coletiva e se espalha desde Bragança e nordeste do Pará, Amazônia, Cabo Verde, Portugal.

O IX Ficca também vai anunciar ainda hoje as obras que foram selecionadas pelo Juri para competição e mostras não competitivas que são a alma do festival que circula em diversos municípios do Nordeste paraense, tendo nascido em Bragança do Pará, às margens e em defesa do Caeté [2014].

INDICADORES

Cerca de mil obras cinematográficas submeteram inscrição ao FICCA desde 2014 até 2023.

Mais da metade delas foram selecionadas pelo festival, a saber:

Estrangeiros (5,8% - 38); Nacionais (67,4% - 439); Amazônicos (15,4% - 100); Paraenses (11,4% - 74)

Entre 2014 e 2022, o FICCA fez mais de duas dezenas de exibições, presencial e/ou virtualmente.

Desse total, foram premiados 58 filmes, sendo 12 realizados por paraenses.

Além dos filmes, a dialógica e a proposição, a formação e o movimento coletivo são a marca do festival que é itinerante e acontece de diversas formas o ano inteiro.

Foram dezenas de rodas de conversas presenciais, radiofônicas, através da internet via redes sociais e plataformas de exibição como a TV Cultura.

Mais que metodologias, estas práticas conectam a juventude excluída, as mulheres, gentes de comunidades tradicionais, extrativistas, povos originários, quilombolas, pescadores tomam consciência e trocam seu pertencimento com o mundo do cinema como uma via libertária de revelação e magia, paixão e consciência social.


NOTA - Este ano sem recursos financeiros de leis e de editais, iremos criar um kit de adesão no valor se R$ 400,00 (Quatrocentos reais) , composto por um boné, uma camisa, uma bolsa e uma xícara, sendo que cada peça individual pode ser vendida separadamente por R$ 150,00 (cento e cinquenta reais).


ENTRA NESSA CAUSA


Francisco Weyl

Carpinteiro de Poesia

DIRETOR do FICCA



61 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page